Voltar ao topo

foto1 foto2 foto3 foto4 foto5

A convite da Escola, o Dr. Daniel Sampaio, Professor Catedrático Jubilado de Psiquiatria e Saúde Mental da Faculdade da Medicina da Universidade deImage result for professor doutor Daniel Sampaio" Lisboa, fez uma palestra no nosso auditório, no passado dia 30 de janeiro, sobre a “Adolescência”.

O Professor Doutor Daniel Sampaio solicitou a todos os participantes questões dentro da temática definida para que a sua intervenção fosse mais direcionada, o que nos permitiu refletir sobre o que são doenças mentais e perturbações de personalidade, quais os fatores de risco, que procedimentos devemos ter e, o mais importante, qual a relação e qual o tipo de comunicação que devemos estabelecer com os nossos alunos em contexto escolar.

Para comunicar com um adolescente, são necessárias ferramentas específicas, que os professores podem e devem encontrar dentro de si próprios. Uma delas é saber ouvir e ter a capacidade de não julgar. Outra é não colocar-se como exemplo e dizer "eu já passei por isto". Não desvalorizar o que o adolescente diz, nem se mostrar distraído enquanto este o faz. Sobretudo, não desperdiçar uma oportunidade de conversa com ele, seja curta ou extensa, justificando "que não se tem tempo" ou porque considera o assunto irrelevante. O conceito de "escuta ativa" (e reflexiva) é o indicado para interagir com o jovem, pois este, mais do que procurar que lhe deem soluções, quer encontrá- -las por si mesmo.

Os alunos não precisam de paternalismo, mas sim de perceber, em momentos pontuais, que estamos aqui para os ouvir. As “chamadas de atenção” dentro da sala de aula, junto dos seus colegas, são contraindicadas, sempre que necessário, é preferível, no final da aula chamar o aluno e conversar com ele um pouco. Não devemos deixar para amanhã, nem deixar cair em “saco roto”. Devemos evitar o confronto direto em sala de aula, porque o aluno que desafia pretende o conflito direto com assistência. Impor os limites e estabelecer regras é muito importante, uma vez isto interiorizado, o trabalho em contexto de sala flui com mais facilidade.

A autoridade clássica, que é mais autoritarismo que autoridade, não funciona com os jovens de hoje, estes têm a perfeita noção dos seus direitos. Portanto, é preciso criar outro tipo de autoridade, uma autoridade naturalmente baseada na relação.

 

No final, este encontro acabou por ser uma “lufada de ar fresco” e um redirecionar de caminhos. A todos os presentes, um sincero obrigado com esperança de que a palestra tenha sido útil nas vossas aprendizagens.

 

Ao Professor Doutor Daniel Sampaio, um especial agradecimento por ter estado presente na nossa Escola e votos de muito êxito no lançamento do seu próximo livro.

Deixe os seus comentários

Publicar comentário como convidado

0
Seus comentários estão sujeitos à moderação do administrador.
  • Nenhum comentário encontado
0
0
0
s2sdefault